terça-feira, 9 de novembro de 2010

Maratona do Porto 2010

A minha segunda...
Conclusões principais:
- custa sempre!
- custam muito!
- lida-se melhor com o que custam!
O correr sem a pressão do tempo é revigorante, descontrai e permite desfrutar do melhor percurso que já corri! Não são 9 kms menos bonitos que retiram a extraordinária beleza deste percurso, numa cidade com características singulares, que tem um clube que odeio, mas que tem muitas e boas pessoas que não têm culpa nenhuma... (a azia a falar...)
Fui com os meus dois amigos de infância fazer uma coisa que nunca pensaríamos, há três anos atrás, fazer juntos. E terminámos os três, com maior ou "maior" dificuldade!
Decidi acompanhar o estreante António Rico e ir ao seu ritmo. Ele não quer saber de Garmins, de gel, de aquecimento, nada... ele corre o que é para correr connosco e pronto! Passada leve e certinha.
Corrida, conversa e paisagem os primeiros 25 kms, corrida sem conversa até aos 35 kms e depois é cada um por si, quem tiver menos dores vai até ao fim, sem empatar ninguém.
Eu já sabia que não estava 100%, tinha dado um jeito às costas na sexta-feira a puxar o banco do carro para a frente... e sabia que ia pagar, é sempre o mesmo jeito perto do sacro-ilíaco.
A meia em 1h e 50m é um descanso, temos forças para acelerar a partir dos 30kms, e se soube bem passar atletas que iam com muita vantagem sobre nós na primeira parte.
Terminei com dores, muitas dores, sofri muito nos últimos 4 kms, mas nada de dores relacionadas com a corrida: costas e adutores.
Felicitei colegas que tinham terminado a sua primeira. Sei o que estavam a sentir. Felicito o Filipe, que conseguiu e sofreu muito. O Fernando, por ter já tantas feitas.
Na próxima, vou seguir uma directriz ainda mais radical: só acelero, se conseguir, claro, não aos 30, mas sim aos 35! Se me sentir bem até aos 30, abrando... pois já sei, que mesmo com muitos treinos longos, muitas séries, muito gel... custa sempre muito aquele final.
E só fiz 10 minutos a mais do que na minha primeira em Sevilha. 3h40m , no meu Garmin.
É muito tempo em cima das pernas frágeis de um tipo que não gostava de correr...

5 comentários:

Fernando Andrade. disse...

Parabéns João. Pela prova e pelo relato (mesmo com "azia") e obrigado pela referência no texto.
Grande abraço.
FA

Filipe Fidalgo disse...

Olá, João.
Parabéns por teres concluído mais uma maratona, adicionando assim mais uma grande prova ao teu currículo.
obrigado pela referência no teu blog, e pelo incentivo naquela última parte de grande sacrificio.

um grande abraço

joaquim adelino disse...

Parabéns, pelo relato despreocupado, mas acima de tudo pela conclusão da Maratona. É verdade que custa sempre e é por isso que concluir uma Maratona é uma coisa muito especial.
Boa recuperação.

António Almeida disse...

Olá João
parabéns e as minhas desculpas por não ter conseguido um "boneco" teu, apareceste de repente...
Termino dizendo-te que em relação ao que disses nas tuas conclusões que mo meu caso a maratona que mais me custou foi aquela que não corri.
Abraço.

Vitor Veloso disse...

Olá João,
Parabéns por teres concluído mais uma maratona.
No local de partida ainda trocamos breves palavras, para próxima haverá mais tempo.
Boa recuperação
Abraço
Vítor