quinta-feira, 10 de julho de 2008

O início dos treinos

A partir de 15 de Maio, comecei a correr todas as manhãs, muitas vezes ao nascer do sol, que é espectacular. Parava à 5a feira. Acabaram-se as noites pouco dormidas e as horas a virar-me na cama. 45 ou 50 minutos por dia e um treino mais longo ao Domingo. O meu compadre, o Mota, estava inscrito para a Maratona de Nova Iorque e picava-me para o acompanhar nos treinos que começava a cumprir constantes no seu plano de treinos de 4 meses. Comprei uns Adistar Control 4, que depressa percebi serem excelentes, mas que comprei ingenuamente como se de um par de sapatos se tratasse. Ora se calço o 39, 40, comprei o 40. Mau resultado. Número indicado para mim: 42. Só agora tive a certeza disso, depois de unhas negras e calosidades nas pontas de quase todos os dedos.
O Mota havia prometido a si próprio que terminaria a maratona, pela sua querida irmã que lutava há anos contra a mais malvada doença, com todas as forças, mostrando-nos como era ser forte, muito forte.
Sempre que vou a sofrer numa prova, lembro-me que ela nos observa lá de cima com o seu sorriso e basta lembrar-me do que lutou para considerar o meu sofrimento uma innsignificância... e acelero a passada. Eu e o Mota começámos a treinar mais e melhor, e comecei a conseguir acompanhá-lo, o que me motivava ainda mais. Tínhamos uma missão: ele, terminar a maratona. Eu, ajudá-lo como podia a ficar bem preparado.
Comecei a pesquisar na Net, saquei uns planos de treino, reformulei-os às minhas necessidades e tentei cumpri-los.
Decidi então inscrever-me no clube do meu bairro, não no futsal, como tinha feito durante anos, mas na secção de atletismo, que tinha e tem, para grande espanto meu, cerca de 35 atletas inscritos, na sua maior parte Veteranos de várias idades. Recebi um fato de treino e tudo o mais e senti-me quase um "atleta". Fazemos reuniões na última 6a feira de cada mês onde se estabelecem as provas a participar no mês seguinte. Estava desde logo inscrito no troféu concelhio, com várias provas ao longo do ano em que se ganhavam pontos que permitiam subir no ranking do escalão. Tudo novidade para mim.
Comecei a ir às provas com os meus colegas, que me receberam muito bem e que me aconselhavam sempre de forma sensata. Temos Veteranos com 62 anos a fazer 1h 22m na Meia Maratona.

1 comentário:

ana paula pinto disse...

Bom dia

Encontrei o seu blogue por acaso e quero-lhe dizer que fiquei deliciada com a simplicidade. Cativou-me desde o primeiro post "como tudo começou". Entre alguns sorrisos alegres que esbocei (como por causa do número das sapatilhas) até uma comoção que conheço bem (correr pela irmã do Mota) senti toda esta mistura de sentimentos e emoções. Por isso lhe dizia que adorei a simplicidade e a transparência com que escreve.
Desejo continuação de bons treinos e boas provas. E continue, assim, a relatar as suas experiências.
Ana Paula Pinto